22.5.17

Após o Fora Temer, apenas a certeza da unidade da esquerda

É golpe atras de golpe na escalada politicamente fascista e economicamente neoliberal que tomou conta do mundo e a esquerda brasileira, com mais vaidades divisionistas que interesse em estabelecer um programa unificado, demora a acordar e a agir. Exercício de dialética não faz mal a ninguém.

Após o estelionato programático do PT e sua submissão aos interesses do grande capital monopolista, só restou ao empresariado nacional (como preposto do imperialismo), restabelecer sua lógica neoliberal sem constrangimentos, comprando o impeachment de Dilma Rousseff e colocando Temer à frente do executivo.

Agora, sob pretexto da ética, a mesma burguesia quer se livrar de Temer para viabilizar uma nova concertação, um novo nome, uma nova cara que represente a sequência das contra-reformas, como fez em 89 com Collor (cassando-o em seguida), para num breve armistício com Itamar poder consolidar o plano real e a pauta de Washington com FHC.

Num cenário de renúncia ou cassação por meio do STF, já que Temer cometeu crime comum, cabe à Maia, Eunício Oliveira ou Carmem Lúcia sequenciar a tampa desse desastre anunciado até 2018, não restando alternativa que não seja a convocação das eleições diretas por meio de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC).

Para tanto, mais que um nome, é urgente que os movimentos sociais e a esquerda estabeleçam uma grande unidade programática pra superar taticamente tal conjuntura, prosseguir com às mobilizações para além do Fora Temer e das diretas já visando a alternativa estratégica do Poder Popular rumo ao Socialismo.

Sem isso, apenas esperaremos a próxima crise (cíclica) do capital que silenciosamente se reagrupa para ampliar seus tentáculos às custas da classe trabalhadora.

Vimos da pior forma no que resulta o "mal menor". Como já disse em diversas circunstâncias "mal é mal, o pior vem depois", e veio.

Não à qualquer forma de capitulação.
Fora Temer
Diretas já 
Nenhum direito a menos
Pela Unidade do campo de esquerda
Pelo poder popular 
Rumo ao Socialismo

Nenhum comentário: