12.4.16

NEM SANTOS NEM DEMÔNIOS

Por Samuel Maia, Mestre em História Social

Um país que foi colonizado e explorado por uma nação que era dominada pelo obscurantismo religioso e em que o poder se baseava em relações promíscuas entre Igreja e Estado, não estaria livre de uma bipolarização maniqueísta entre o Bem X Mal.

Tenho refletido muito sobre os acontecimentos atuais no país e observado que vivemos presos ao passado do antigo regime medieval. Há uma nítida bipolarização de ideias presas ao passado.

Olho um Ronaldo Caiado da União Democrática Ruralista, ultraconservadora  e responsável por várias mortes no campo, vociferando contra o governo, como se o pudesse.

Fico embasbacado com a desenvoltura do já comprovado corrupto Eduardo Cunha, comandando o impeachment da presidente, como se Ele mesmo já não deveria estar preso.

Estarrecido recebo a ficha de filiação do juiz Sérgio Moro ao PSDB, que seu pai é fundador e sua mulher advogada da legenda, sendo alçado paladino da justiça, como se não fosse imoral e aético estar à frente de uma operação que apesar de ter políticos de vários partidos, só vaza informações e prisões do PT.

E o vice- presidente Michel Temer (PMDB), o próprio é citado em casos de corrupção e articula a queda da titular da pasta.

E Dilma que por sua postura arrogante e inábil, mesmo não sendo acusada de nenhum crime, que não seja remanejamento de verbas de áreas de governo, finge que está tudo bem?

E Lula que nunca antes neste país, imaginou que iria chegar a Ele quando tudo iniciou-se com as prisões de seu primeiro time?

Enfim, para além  deste ódio mútuo de uma visão tosca da realidade, o que o país deve debater e se inserir nas nações desenvolvidas está esquecido.:

01) Democratização dos meios de comunicação;

02) Reforma Agrária;

03) Reforma Política;

04) Auditoria da Dívida Interna e externa;

05) Taxação das grandes fortunas;

06) Redistribuição das riquezas com o fim da abissal diferença entre o menor e o maior salário do país;

07) Reforma Urbana;

08) Fim das Terceirizações;

09) Assembleia Nacional Constituinte;

10) Todos os recursos naturais nacionais nas mãos do país

11)  Revolução Educacional e Tecnológica

Esta agenda, caso o governo de Dilma Roussef e do PT, consigam sair da enrascada que por suas vacilações se meteram, devem ser a agenda dos próximos passos.

Só superando o Brasil oligarca, excludente, atrasado intelectualmente, injusto social-economicamente e transformar o modelo de representação em radicalmente democrático com o controle dos trabalhadores, deixará para as futuras gerações uma nação desenvolvida e inserida no clube dos países centrais.

É hora de descobrirmos que não há santos e demônios, apenas uma etapa a ser superada, a do país de ontem para um país realmente inserido no século XXI.

Nenhum comentário: