11.5.15

POVO ALEMÃO NÃO ACREDITA NO CAPITALISMO E BOA PARTE PREFERE O SOCIALISMO

sozialismAlemanha - Diário Liberdade - 60% dos alemães orientais e 37% dos ocidentais são favoráveis ao sistema socialista, revela pesquisa.

A queda do Muro de Berlim, em 1989, não representou o fim do socialismo. Os ideais de uma sociedade justa, igualitária e sem a exploração do homem pelo homem ainda estão muito arraigados na atual sociedade alemã.

Uma em cada três pessoas acredita que o capitalismo leva, inevitavelmente, à fome e à pobreza. Por isso, 59% dos alemães da parte oriental e 37% do lado ocidental acreditam que o socialismo e o comunismo são uma boa ideia, segundo revelou uma pesquisa do institutoInfratest Dimap, encomendada pela Universidade Livre de Berlim e publicada em fevereiro deste ano.

O estudo, que recolheu depoimentos de aproximadamente 1.400 pessoas, aponta que a maior parte da sociedade alemã carrega junto a si ideais de esquerda e não estão nada satisfeitos com os rumos políticos do país, em que os grandes atores econômicos têm mais influência do que o próprio povo. Nada menos do que 62% consideram que na Alemanha não existe uma democracia verdadeira.

E pior: quase um terço da população alemã (27%) teme que o sistema político do país possa se tornar uma ditadura, por causa do recrudescimento da vigilância, e 20% mostra preocupação pela volta do fascismo, já que a xenofobia está fortemente presente no país, segundo 48% dos entrevistados. Outro forte motivo é a escalada da vigilância e perseguição aos dissidentes de esquerda por parte das forças de segurança, para quase 50% respondentes.

Um em cada cinco alemães (20%) pede por uma revolução, para que melhorem as condições de vida do povo. Do mesmo modo, 17% da população – sendo 28% do lado oriental e 14% do lado ocidental – desejam instaurar o comunismo ou uma "democracia real" para acabar com o regime de exploração capitalista.

Porém, o dado mais surpreedente, segundo os autores da pesquisa, é que somente 46% das pessoas que participaram do estudo são favoráveis ao emprego exclusivo da força por parte do Estado. Isso pode reforçar os números anteriores de que o povo alemão, ou pelo menos boa parte dele, deseja uma revolução socialista para derrubar o Estado burguês e o capitalismo.

Nenhum comentário: