27.4.15

APENAS PCB, PSOL, PSTU E PCO NÃO RECEBERAM DINHEIRO SUJO DA LAVA JATO

Dos 32 partidos registrados no Brasil, 28 receberam dinheiro das empreiteiras investigadas na Lava Jato nas duas últimas eleições gerais. Confira quanto cada um recebeu e saiba quais são as 4 legendas que não foram beneficiadas pelo chamado “clube do bilhão”

partidos dinheiro operação lava jato
28 dos 32 partidos políticos oficialmente instituídos no Brasil receberam dinheiro de empresas investigadas na Operação Lava Jato
As empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato destinaram 70% das doações que declararam à Justiça eleitoral em 2010 e 2014 a candidaturas do PT, do PSDB e do PMDB. Dos R$ 930 milhões (em valores atualizados pelo IPCA/IBGE) repassados por essas empresas, R$ 660 milhões bancaram candidatos dessas três legendas. O PT ficou com R$ 308 milhões (33%), o PSDB com R$ 189 milhões (20%) e o PMDB com R$ 162 milhões (17%).
Essas construtoras financiaram, ainda, outras 25 legendas com R$ 270 milhões. Ou seja, dos 32 partidos registrados no Tribunal Superior Eleitoral, 28 (87%) foram financiados nas duas últimas eleições gerais por empreiteiras acusadas pelo Ministério Público Federal de integrar um cartel para desviar recursos da Petrobras, o chamado “clube do bilhão”. Apenas o Psol, o PCB, o PSTU e o PCO – legendas de esquerda e extrema-esquerda, não foram beneficiadas pelo grupo.
Só no ano passado, PT, PSDB e PMDB tiveram um auxílio de R$ 306 milhões dos grupos Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Engevix, Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Galvão Engenharia, Toyo Setal e UTC Engenharia. Dessas, só a Toyo não doou a esses três partidos em 2010. Naquele ano, além das oito construtoras citadas anteriormente, também contribuíram a IESA, a Mendes Junior e a Promon. Juntas, essas 11 empresas repassaram R$ 276 milhões (R$ 353 milhões em valores atualizados) para candidaturas petistas, tucanas e peemedebistas. O levantamento considera as quantias declaradas à Justiça eleitoral.
Financiamento privado
Coordenador do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), o juiz Márlon Reis avalia que a difusão dessas doações entre os partidos enfraquece o argumento da oposição de que apenas o PT se beneficiou da relação com as empreiteiras. “A oposição está devendo à população um comportamento contrário ao do governo. Ela está perdendo a oportunidade de denunciar as doações ilícitas”, diz o juiz.
Para ele, o problema não se restringe a uma sigla ou outra, vem do modelo de financiamento privado. “As doações provenientes de empresas investigadas na Operação Lava Jato desmoralizam todos os que receberam os recursos, mesmo que indiretamente”, afirma Márlon. Parte das contribuições não foi feita diretamente aos candidatos, mas aos diretórios partidários, responsáveis pela distribuição do dinheiro.
Veja abaixo quanto cada partido recebeu das empreiteiras da Lava Jato (valor total referente às eleições de 2010 e 2014):
PT R$ 273.267.851
PSDB R$ 165.833.020
PMDB R$ 143.560.020
PSB R$ 62.188.881
PP R$ 34.504.000
PR R$ 26.917.500
DEM R$ 26.236.300
PDT R$ 21.725.025
PTB R$ 11.742.978
PCdoB R$ 9.655.015
PSD* R$ 9.044.081
PPS R$ 6.227.751
PSC R$ 6.161.556
PV R$ 6.110.000
SD* R$ 5.210.000
PRB R$ 3.985.000
Pros* R$ 1.520.000
PRTB R$ 1.483.000
PTN R$ 1.355.000
PMN R$ 1.133.030
PEN* R$ 1.117.880,00
PTdoB R$ 1.065.774
PTC R$ 831.400
PSL R$ 537.840
PHS R$ 280.000
PSDC R$ 253.901
PRP R$ 89.000
PPL* R$ 55.000

Total 822.090.803
Valores corrigidos 930.315.101,61

*SD, Pros, PEN e PPL foram criados após 2010. Os valores que esses partidos receberam dizem respeito as eleições de 2014.
Congresso em Foco e TSE

FONTE: Pragmatismo Político

Nenhum comentário: