11.12.14

SINPRO-PE DIVULGA NOTA DE REPÚDIO A BOLSONARO

A história dos trabalhadores, dos negros, das mulheres e dos jovens sempre foi marcada pelas lutas e mobilizações.

A busca incessante pelo respeito e dignidade motiva diariamente milhões de brasileiros – que ao longo do tempo se viram muitas vezes excluídos e marginalizados – a lutarem por direitos, liberdade e cidadania.

Por outro lado, a persistência de um conjunto de instituições conservadoras e reacionárias sempre contribuiu para emergência de uma cultura sexista, racista e homofóbica. Aos jovens, aos negros e aos homossexuais oferecem a chacina. Aos trabalhadores, a precarização, subemprego e longas jornadas de trabalho. E para as mulheres, a violência de gênero e sexismo.

Contudo, é necessário que essas e as demais contradições não sejam naturalizadas, nem tampouco reproduzidas na sociedade, pelo contrário, é preciso enfrentá-las e combatê-las, pois nenhuma sociedade pode ser livre ou justa, enquanto houver processos que legitimem a opressão.

Diante disso, o Sindicato dos Professores de Pernambuco (Sinpro/PE) torna público o seu repúdio à agressão proferida pelo deputado federal, Jair Bolsonaro, do Partido Progressista do Rio de Janeiro a ex-ministra e então deputada federal, Maria do Rosário, do Partido dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul.

O deputado Jair Bolsonaro, ao participar de uma das sessões da Câmara Federal, no dia 09 de dezembro, mais uma vez propagou nas dependências do parlamento, o seu discurso de ódio. Ao responder a deputada Maria do Rosário, afirmou que “só não estuprava” a parlamentar porque “ela não merecia”. E dentro dessa mesma circunstância, ainda se referiu ao dia internacional dos Direitos Humanos, como o dia internacional da vagabundagem.

É válido relembrar que Bolsonaro também é conhecido por tornar público os seus elogios à ditadura, defendendo o retorno do regime militar e de seus torturadores.

Em 2013, mais de 50 mil mulheres foram vítimas de violência sexual no Brasil. Uma realidade que deve ser enfrentada por meio de políticas progressistas, uma vez que a conquista pela igualdade entre homens e mulheres ainda se torna necessária e deve ser vista como elemento relevante para a instituição de uma Reforma Política Democrática no país. Principalmente quando avaliamos que em todo Congresso Nacional, apenas 10% dos parlamentares são mulheres.

Entretanto, ainda são muitos os “Bolsonaros”, “Malafaias” e “Felicianos” que ao propagarem suas mensagens de ódio e opressão, se colocam como tribunos dos interesses reacionários e fascistas.

Repudiamos suas condutas, e em nome da classe trabalhadora e das mulheres brasileiras, exigimos justiça e punição para todos esses que insistem em ferir a democracia, as liberdades civis e os direitos humanos. #ForaBolsonaro! #NenhumaMulherMereceSerEstuprada!

Nenhum comentário: