12.10.14

COM NOVO CONGRESSO "RISCO DE RETROCESSO É REAL"

Do portal Congresso em Foco

Redução do espaço da esquerda e crescimento da direita põem em risco direitos em áreas como as relações homoafetivas, diz em vídeo diretor do DiapPor Sylvio Costa

Tânia Rêgo/Agência Brasil
Aumento dos conservadores no Congresso será entrave a questões homoafetivas.

A redução das bancadas de esquerda e centro-esquerda na Câmara – que perderam no último domingo 30% das cadeiras que haviam obtido nas eleições de 2010 – e a vitória eleitoral de vários parlamentares identificados com o ultraconservadorismo serão um sério entrave à aprovação de propostas em áreas como relações homoafetivas, aborto, células-tronco e maioridade penal, afirma em entrevista em vídeo ao Congresso em Foco o diretor de Documentação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), Antônio Augusto de Queiroz.

Nesses temas, na opinião dele, o “risco de retrocesso é real” em razão do perfil do novo Congresso. 

Um Congresso cujos campeões de votos são, em grande parte, políticos “linha-dura”, que pregam o conservadorismo moral e privilegiam a defesa da repressão contra o crime. Com muitos parentes de políticos, acentuando o peso de oligarquias. Com mais evangélicos (aumentaram para mais de 80). Menos sindicalistas (caíram para menos de 50). E com ainda maior dispersão partidária (saltou de 22 para 28 o número de partidos com assento no Legislativo).

Para o diretor do Diap, o apoio desse Congresso será fundamental para enfrentar os atuais desafios econômicos do país. ”Seja quem for o eleito [Aécio ou Dilma], vai ter que fazer um ajuste muito duro, muito drástico nas contas públicas”, afirma. Ele também fala sobre PT e corrupção e diz que, devido à experiência dos seus quadros, o PMDB continuará a ter “um papel estratégico” nos próximos quatro anos.

Nenhum comentário: