15.9.14

CANDIDATOS AO GOVERNO DE PERNAMBUCO FAZEM DEBATE NA UNICAP

Primeira rodada contou com Jair Pedro, Miguel Anacleto e Raul Henry.

Encontro foi organizado pela Unicap na noite de terça-feira (9)

Concorrentes ao cargo responderam perguntas sobre educação, transporte e segurança pública (Foto: Luna Markman/G1)Concorrentes ao cargo responderam perguntas sobre
educação, transporte e segurança pública
(Foto: Luna Markman/G1)
Candidatos ao governo estadual participaram da primeira rodada de debates para as eleições 2014, realizada pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), na área central do Recife, na noite desta terça (9). Os concorrentes ao cargo responderam perguntas sobre educação, transporte, campanha eleitoral e segurança pública. O debate foi dividido em dois blocos: exposição do programa de governo e respostas a perguntas de estudantes.
 
Jair Pedro (PSTU), Miguel Anacleto (PCB) e Raul Henry (PMDB), candidato a vice-governador na chapa da Frente Popular encabeçada por Paulo Câmara (PSB), participaram do debate. Paulo Câmara não compareceu porque cumpre agenda no interior do estado. A segunda rodada está marcada para esta quarta-feira (10) com Armando Monteiro (PTB), Pantaleão (PCO) e Zé Gomes (PSOL). O encontro será às 19h, no auditório G2.
Considerações
Jair Pedro propôs um governo voltado à classe trabalhadora, apontando a falta de concursos públicos no estado e o desemprego. Ele defendeu a educação pública de qualidade e o resgate do SUS. Ao final, ele apontou que esta é a "eleição do marketing”. "Há um investimento pesado e nós, que somos do PSTU, somos os pequenos. Estamos gastando pouco, mas nossa proposta é grandiosa: resgatar a classe trabalhadora e colocá-la no poder. Queremos a nossa juventude sabendo que a política pode ser muito grande", disse.

Miguel Anacleto explicou os eixos do programa de governo do PCB, como construção do poder popular, a economia pública sustentável, a defesa do meio ambiente e a solidariedade internacional. Ao final, afirmou que não acredita numa virada nas pesquisas eleitorais. "A gente lançou candidatura para divulgar nossas propostas, para o crescimento orgânico do partido, que temos conseguido, e alcançar votação expressiva. Também quero fazer um apelo sobre o voto útil, não caiam nessa armadilha, é um erro crasso", disse.
A mais recente pesquisa Datafolha, divulgada em 4 de setembro, mostrou Armando Monteiro e Paulo Câmara empatados com 36% das intenções de voto. Em seguida, aparecem Zé Gomes, Miguel Anacleto e Pantaleão, também empatados em 1%. Já Jair Pedro não chegou a 1% das intenções de voto. Na pesquisa anterior do Datafolha, divulgada em 15 de agosto, Armando tinha 47% e Paulo, 13%.

Raul Henry falou sobre esgotamento de um ciclo político no Brasil, defendendo a candidatura de Marina Silva (PSB) à Presidência e a continuidade do trabalho do ex-governador, Eduardo Campos.  Ao final, pediu votos. "Não há caminho fora da democracia para fazer a política avançar. Eu acho que a frase de Eduardo, na última aparição pública dele, é lapidar: 'não podemos desistir do Brasil'. Marina simboliza a revitalização das instituições e, em Pernambuco, vamos dar segmento ao projeto de Campos", disse.
Perguntas do público
Passe livre no transporte público foi o primeiro tema abordado na abertura do debate a perguntas. Miguel Anacleto e Jair Pedro defenderam a estatização do transporte coletivo e implementação do passe livre para estudantes e desempregados. Raul Henry afirmou que Paulo Câmara assumiu compromisso com passe livre para alunos da rede pública, cuja repercussão na folha será de R$ 200 milhões. Depois, cada candidato recebeu seis perguntas do público.

Jair Pedro defendeu salários dignos para os rodoviários e professores, ao ser questionado sobre a situação dos motoristas e cobradores, que fizeram paralisações e ganharam reajuste de 10%, e o baixo piso salarial dos docentes. Também apontou que estado experimenta crescimento econômico, mas criticou a falta de preocupação da saúde dos operários dos polos industrial no interior, afirmando que vai construir escolas e investir na agricultura familiar na região. Ainda acrescentou que é a favor do movimento Ocupe Estelita, que luta contra projeto imobiliário no Cais José Estelita, na área central da capital.

Miguel Anacleto criticou o atual modelo eleitoral brasileiro, segundo ele "ditado pelo poder econômico", e citou que é preciso valorizar a prevenção da saúde para melhorar o Índice de Desenvolvimento Humano do estado. Ele também afirmou que apoia o Movimento Ocupe Estelita e apontou o mascaramento dos números do Pacto pela Vida, programa do atual governo estadual para reduzir mortes violentas, e defendeu a desmilitarização da Polícia Militar. Também posicionou-se contras as Parcerias Público-Privadas.

Raul Henry explicou que o PMDB tem fisionomias diferentes em cada estado brasileiro e afirmou que a legenda sempre fez oposição ao governo Dilma Rousseff ao responder sobre possíveis incoerências partidárias na sua candidatura. Também defendeu o financiamento exclusivamente público das campanhas eleitorais e sobre o movimento Ocupe Estelita, afirmou que mudanças no projeto, como pavimento térreo com uso misto, uso público do parque linear e permeabilidade do terreno, podem torná-lo melhor para a população.
G1:

Nenhum comentário: