17.3.12

VALE DO SÃO FRANCISCO GANHARÁ UMA ENOTECA PÚBLICA


POSTADO NO BLOG DE JAMILDO MELO
Por Shirlene Marques, no site Pernambuco Investimentos
A produção de uvas e vinhos do sertão pernambucano ganhará um aporte que vai além da concepção de compra e venda dos produtos, como noticiado pelo blog de Jamildo no dia 06 de março. A ideia de montar um espaço como esse surgiu após uma visita de representantes estaduais, da Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária (SARA) e Secretaria de Turismo de Pernambuco, as vinícolas do sul do país.

Está sendo projetado para a região o funcionamento da Enoteca Pública do Vale do São Francisco, primeira no Brasil, a ser concebida e construída totalmente com verbas Públicas. De acordo com o consultor enoturístico que está a frente da elaboração do projeto , Jovino Nolasco, esta é a primeira e única, até o momento, dentro dos padrões de uma verdadeira Enoteca existente no Brasil. “Em outras palavras uma biblioteca de vinho. Lugar para conhecer, aprender,pesquisar os vinhos produzidos no Brasil. Terão palestras, shows, teatro, debates, ciclos de estudo e escola do vinho, degustação, lançamentos de vinhos, novas marcas, enfim tudo o que se refere a vinho e uva além, claro, da visitação turística”, detalhou

O espaço, que possui uma área de 1.120 metros quadrados, está localizado no Distrito de Vermelhos, na cidade de Lagoa Grande, e tem o propósito de colher, catalogar e expor informações sobre o conhecimento, a cultura e a produção científica das regiões brasileiras produtoras de vinhos, visando preservar e valorizar os trabalhadores da vitivinicultura.

O projeto de implantação da Enoteca Pública, que está sendo elaborado pela Associação Integrada de Turismo de Petrolina (Assitur) e pelo consultor Jovino Nolasco, pretende incluir em até 60 dias, todos os ajustes finais como os orçamentos e valores de captação de recursos. ” Precisamos incluir no projeto os gastos que teremos com gestão do espaço, acesso ao estacionamento, mobiliário e equipamentos e aquisição de conteúdo”, declarou o secretário de Agricultura e Reforma Agrária do Estado, Ranilson Ramos.

A expectativa é que a Enoteca possa agregar valor turístico e cultural ao Vale do São Francisco. ”A Enoteca é um investimento físico e material de grande expressão, uma fonte de cultura, do conhecimento e da integração dos povos amantes e apreciadores da bebida milenar. Por tudo isso que representa, ela, sem dúvida nenhuma, irá colocar o Estado de Pernambuco, o Vale do São Francisc, o Nordeste e o nosso País entre as regiões mais prósperas do mundo no segmento do enoturismo”, frisou Nivaldo Carvalho, presidente da Assitur.

ACERVO - A ideia é que a Enoteca não seja somente um espaço de visitação, mas que proporcione cursos de aperfeiçoamento para os que trabalham com a uva. O espaço físico, já que está erguido no distrito, contará um acervo de marcas produzidas pelas vinícolas brasileiras situadas nos mais diferentes estados e regiões, além de vídeos, folhetos, pinturas, gravuras, esculturas, livros históricos das empresas. Além disso será possível conhecer dados das regiões e cidades onde estão instaladas as áreas produtoras, bem como divulgação de eventos relacionados à uva e vinho e roteiros enoturísticos.

De acordo com Nolasco, o acervo contará no mínimo com 5 garrafas de vinho de cada marca produzido por cada empresa brasileira, situadas nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo,

Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Pernambuco e Ceará.

ATIVIDADES - De acordo com Ranilson Ramos, ainda não há uma data para o funcionamento da Enoteca, devido aos ajustes restantes do projeto de implantação. O grupo responsável pela elaboração está finalizando itens sobre o modelo de gestão da Enoteca.

“O certo e o mais viável seria que a classe privada, através de uma Instituição, Associação não governamental, viesse a administrar o Enoteca. Essa é a nossa ideia. A Enoteca terá que ser auto- sustentável, mas isso depende do modelo de Gestão”, enfatizou Nolasco.

PRODUÇÃO DO VALE- Atualmente estima-se a existência de uma área de 900 ha de parreirais que produzem, aproximadamente, 8 milhões de litros de vinho/ano, sendo 80% vinho tinto e 20% branco. A viticultura voltada à produção de vinhos concentra-se no cultivo de castas de vitis vinifera, com destaque para as cultivares Syrah, Cabernet Sauvignon e Ruby Cabernet, entre as tintas, e Moscato Canelli e Chenin Blanc, entre as brancas.

Os principais produtores de uva, vinho e suco da região, ficam nos municípios de: Petrolina, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista e Orocó, no Estado de Pernambuco, e Casa Nova, Sobradinho, Juazeiro e Curaçá, no Estado da Bahia.

Nenhum comentário: