22.9.11

AO GRANDE POETINHA VINÍCIUS

VINICIUS+DE+MORAES+-+01+-+CHARGE.jpg (117×134)

Hoje bateu saudade de escutar Vinícius de Moraes, a bem da verdade, Vinícius se aprecia, se degusta seja por meio de suas músicas, antologias, sonetos, poesias e suas histórias boêmias épicas.

Nosso Poetinha compôs muito, cantou muito, declamou muito, casou muito, se divorciou muito, amou e se apaixonou muito, bebeu muito, fumou muito, morreu moço para os padrões de hoje, mas soube viver como poucos.

Na internet é possível conhecer sobre sua vida e obra, recomendo o site que é mantido por sua família www.viniciusdemoraes.com.br


Abaixo uma de suas muitas histórias:


Tomara - Maria Lucia Rangel

Luciana me pede uma história com Vinicius. São várias, mas me ocorre aquela madrugada em Petrópolis, na casa de Cícero Leuenroth, pai de Olívia Hime, onde passamos fins de semana inesquecíveis.

Vinicius às vezes chegava de táxi, avisando que dormiria na "vaga". Se alguém acordava mais cedo ele corria para a cama desocupada e tirava um cochilo. Naquela madrugada de 1971 fui dormir e deixei o poeta na sala com Toquinho.

Pelas quatro da manhã acordei com os dois entrando quarto adentro e me entregando um copo de uísque. Os dois sentaram-se na minha cama e eufóricos, contaram ter acabado de compor mais uma música. Toquinho deu os primeiros acordes e a dupla começou a cantar Tomara. Foi uma alegria.

A música foi repetida inúmeras vezes e hoje, lembrando aquele encontro, não tenho dúvidas de que "a coisa mais divina que há no mundo é viver cada segundo como nunca mais".

Disponível em http://www.viniciusdemoraes.com.br/site/rubrique.php3?id_rubrique=91


BREVE BIOGRAFIA

Marcus Vinitius de Melo Moraes (mais tarde mudaria o segundo nome para Vinícius) nasceu em 1913, no Rio de Janeiro. Cursou a Faculdade de Direito da rua do Catete e a Universidade de Oxford, onde estudou língua e literatura inglesas.

Em 1941 entrou para o Itamaraty, assumindo em 1946 seu primeiro posto diplomático, de vice-cônsul em Los Angeles. Poeta, cronista e dramaturgo, em 1953 conheceu Antonio Carlos Jobim e iniciou um apaixonado envolvimento com a música brasileira, tornando-se um de seus maiores letristas.

A lista de seus parceiros musicais é vasta, incluindo, além de Tom Jobim, Baden Powell, Chico Buarque, Carlos Lyra, Edu Lobo e Toquinho, entre outros. Morreu em 1980, na banheira de sua casa, no Rio de Janeiro.

Um comentário:

Anônimo disse...

Pretty nice post. I just stumbled upon your weblog
and wanted to say that I have really enjoyed surfing around your blog posts.
After all I will be subscribing to your feed and I hope you write again soon!

Stop by my homepage - helpful resources