18.4.11

A VIDA ENTRE O ESPERTO E O CORRETO

Por Bráulio Wanderley

No mundo de hoje é difícil ser honest@. Ser honesto é o mesmo que ser 'certinho' e todo certinho é um saco, é um nerd, é #tenso.

Parece que ser probo virou diletantismo de insuportável, tipo aquela frase: ' vixxxxxxe, lá vem...'.

A sociedade se acostumou, em quase todas as suas esferas, com a mentira. As pessoas adoram ser enganadas ou se sentirem assim.

Algumas situações:

Na política, candidat@ que não emociona não presta. Polític@ honest@ muitas vezes não recebe voto nem de parente. Bom ou boa é @ candidat@ que age passionalmente, que levanta as massas, que 'rouba, mas faz'.

Só no Brasil Maluf é motivo de piada quando deveria ser caso de polícia.

Na sala de aula, 'professor bom' é engraçado. O que 'dá aula' é chato.

No trabalho, o correto é bajulador, babão mesmo, o expert, o promissor muitas vezes é o maior dos oportunistas que ainda não se pronunciaram como tal.

No namoro, namorado bom tem que ser safado. O certinho é pegajoso, meloso e outros 'osos'. No machismo, a namorada ideal é a 'certinha', que é devota do estilo 'Amélia', submissa, sem senso crítico e que não faça sombra a quem se acha 'o cara'. #Podre!

Bom mesmo é ter uma vida correta, justa, proba, muito embora até haja comunidades virtuais que tenham títulos como "todo bonzinho se f...".

Sejamos honest@s, 'chat@s', certinh@s. Com o tempo, a vida responde com fatos quem é exitoso, feliz e dorme bem do que foi "esperto", mala e que ao fim fracassou.

Um comentário:

Anônimo disse...

Realmente, vivemos uma forte crise de valores. Inclusive dentro do campo da esquerda.