14.2.11

A TARDE: CENSURA, LOBBY OU OS DOIS?

Do portal Comunique-se

O editor-chefe do jornal baiano A Tarde, Florisvaldo Mattos, anunciou seu desligamento do diário nesta quinta-feira (10/2), em meio ao estado de greve pela demissão do jornalista Aguirre Peixoto. No entanto, Mattos alega que sua decisão não foi motivada pela saída de Peixoto, mas por um acúmulo de situações.

“Afastei-me espontaneamente por um acúmulo de situações. O caso do Aguirre já foi com a diretoria da empresa”, afirmou. Mattos trabalhou por 21 anos no A Tarde, oito deles como editor-chefe.

O profissional informou sua saída em comunicado à Redação. “Informo aos prezados colegas que, em encontro cordial com os membros da Direção Executiva, apresentei a minha demissão do cargo de editor-chefe e o meu desligamento dos quadros da Empresa A Tarde, de forma inteiramente livre e espontânea. Agradeço a todos os integrantes desta Redação todas as atenções e gestos de bondade, afeto, carinho e respeito de que sempre fui alvo. Levo grandes lições de amizade e brio”, dizia a nota.

A Redação do jornal A Tarde está em estado de greve desde quinta-feira (10/2). No dia anterior, o repórter Aguirre Peixoto foi demitido após publicar uma série de reportagens com denúncias sobre crimes ambientais. Segundo os jornalistas do veículo, Peixoto foi dispensado por pressão do mercado imobiliário.

No entanto, a direção do jornal nega e afirma que a demissão foi uma decisão administrativa.

Nenhum comentário: