28.5.10

PATATIVA DO ASSARÉ CANTA AQUI E CANTA LÁ

Por Bráulio Wanderley



Antônio Gonçalves da Silva poderia ser mais um homem camponês do sertão cearense castigado pela seca e pelos coroneis, mas resolveu ser diferente. Nasceu pra ser história do Brasil e do mundo, Patativa é estudado em catédra na Universidade de Paris nos conceitos brasilianistas.

Patativa nunca se mudou, morou na mesma casa que se localiza na praça de Assaré ao lado da Igreja (que hoje conta que uma estátua sua). Casou-se com dona Belarmina - a quem tratava carinhosamente por Bela - e na condição de camponês não estudou o Brasil, ele o narrou na problemática social com versos. Analfabeto, frequentou a escola por apenas 4 meses aos 12 anos de idade, mas a vida trágica que ele tanto versou o obrigou a cair no cabo da enxada.

Poesias se tornaram hinos da esquerda libertária durante a ditadura, dentre as quais estão: Triste Partida, Canto lá que eu canto cá, Caboclo Roceiro, Antônio Conselheiro, Vaca Estrela e Boi Fubá, entre outras obras do nosso ilustre cancioneiro.

Antônio Gonçalves da silva nasceu em Assaré-CE em 1909, nunca foi membro da academia cearence ou brasileira de letras, já outros menos dotados como Roberto Marinho e Sarney... Patativa faleceu em 2002 na mesma cidade que o apelidou, o presenteou e o eternizou para o mundo.

Nenhum comentário: